O que é ser psicólogo?

ago 27, 2019 | | 0 Comentários
O que é ser psicólogo?

No dia 27 de agosto, comemoramos oficialmente o Dia do Psicólogo. Desejo então, tecer algumas considerações a respeito do que essa profissão significa para mim!

A Psicologia é uma profissão regulamentada: exige formação superior, conhecimento, foco, dedicação e muito, muito estudo!  Profissão que “cuida” do humano, da singularidade dos sujeitos. Um ser humano a serviço de outro ser humano, colocando-se a disposição para acolher a dor, identificar dificuldades nas situações relatadas, buscando ampliar a consciência e construir alternativas.

Porém, desejo tornar figura outra perspectiva, que amplia e engrandece o SER do psicólogo. Isso mesmo, falo da dimensão do SER! Ou seja, existe um SER que antecede   “a” profissão e é a esse SER que direciono minhas palavras!

Parabenizo e honro  todos os colegas de profissão que, como eu, possuem uma dose elevada de coragem, fé e, por que não?, uma certa dose de “loucura”. Sim, pois escolher como ofício uma profissão que nos coloca em contato frequente com nossas próprias mazelas, dores, amores, desejos, só pode denunciar ali uma pessoa de alma elevada!

Reduzindo o tom descontraído, declaro que realmente creio que essa profissão traz um movimento que pertence à ordem do Sagrado. Receber, a cada momento, pessoas que irão, através de sua dor, tocar o nosso processo de existir não é algo fácil.  Quantos pacientes acompanhamos em silêncio nos questionando: como ele aguenta tudo isso?! Quantas pessoas acolhemos muitas vezes aos pedaços, com dores que se refletem em tudo e todos que tocam, e apenas o que nos cabe é respirar fundo mantendo vivo em nossa mente a ideia que, mesmo assim, devemos seguir.

Ser psicólogo não é apenas acreditar e desejar ajudar o outro. Além disso, é buscar desenvolver o tempo todo um respeito ao fluxo da vida e uma fé inabalável na capacidade do “outro” de dar conta da história que veio contar.  É tocar e ser tocado, exercitando a arte da compaixão: próximos, mas conscientes “a quem” essa dor pertence.

Ser um profissional que faça a diferença na vida daqueles que toca depende de muitas coisas, mas, talvez, a principal delas seja ter clareza que seu maior instrumento não são apenas as teorias, técnicas ou perspectivas de leitura de homem ou mundo, mas sim, seu maior instrumento é, e será sempre, o SER VIVO E HUMANO que se tornou! 
A todos esses seres, psicólogos de profissão, e humanos por convicção, parabéns pelo seu dia!

 

por Michele Stefani

Nenhum comentário até o momento.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *