A infecção pelo COVID-19 e Psicossomática

mar 29, 2020 | Texto de Dorval Tessari | 0 Comentários
A infecção pelo COVID-19 e Psicossomática

A infecção pelo COVID-19 e Psicossomatica

Sempre pautei o exercício da Medicina por atitudes éticas, obediência as leis do Conselho Regional de Medicina do RS, aos preceitos das diretrizes que a ciência clássica preconiza e pelo respeito a religião e a moral de quem me procura. Por fim, desde 1993, fui apresentado às obras de Georg Walter Groddeck, médico alemão que viveu entre 1866 a 1934,  pelo médico brasileiro Antonio Carlos Costardi, com o qual tive oportunidade de conviver. Pelo convívio com ele, absorvi, em parte, a sua forma de ver o mundo, e essa convivência mudou a forma como passei a atuar dentro da Medicina.

Minha paixão por Groddeck é tanta que cheguei a escrever um livro, “Tudo tem sentido, inclusive o câncer” quando eu tenho uma conversa com ele. O exercício da escrita permitiu que eu tivesse um contato mais próximo com suas ideias. 

Groddeck afirmava que o homem é vivido por um “Isso”, uma força que determina absolutamente tudo o que acontece com ele. O “Isso” é a fonte e a essência, em si mesmo. Continuando, ele dizia que essa força faz com que as células se dividam , carregando dentro delas o “Isso”, e que a cada divisão que se sucede, essas novas células carregam consigo essas informações. ( podemos considerar, de forma simplista, os gens que carregamos em nossas células ). A ciência moderna traz a informação que as células ao se dividirem, procuram se especializar, tendo uma forma celular peculiar e e com uma função especifica para cada grupo celular.  Essa força faz com que uma estrutura física, inicialmente indiferenciada, se diferencie em inúmeras partes diferenciadas como o cérebro, os olhos, nariz, pulmão, coração etc...

Continuando...

Cada órgão é uma estrutura diferenciada com forma e função especifica. Exemplificando: Ao estar lendo esse texto, algo capturou sua atenção; sendo assim, através de seus olhos, essas imagens visuais vão até uma parte do seu cérebro. ( córtex occipital ) e de lá, conexões levam essa informação as áreas de associações ( Córtex parietal e temporal ) quando algo emerge ( consciência ) e ao surgir expressões de teu corpo ( emoções ) é porque essas informações chegaram as profundezas das estruturas cerebrais ( Limbicas ).  Aí, você pode continuar lendo ou simplesmente abandonar a leitura por não preencher as tuas necessidades. Assim, que as coisas acontecem. Buscamos no mundo exterior algo que complemente a falta dentro de nós.

Voltando para o pensamento de Groddeck...

Essa força, o “Isso”, é o mesmo o que esta escrito no Tao Te Ching com sendo o Absoluto, o Inominável; É o mesmo que o filósofo Spinosa chamava de “Deus Natureza”  em seu tratado Ética; é a mesmo energia que rege os prováveis 10 na potencia 500 universos semelhantes aos nosso ( Imagine um Universo como o nosso, multiplicado por 500 zeros - é universo que não acaba mais... ), que a Astrofísica não consegue determinar.

Voltando, mais uma vez, para Groddeck ( peço desculpas, mas não tem como não trazer essas informações que estão guardadas em minha memória, que emergem em meu consciente através das minhas áreas de associações cerebrais ), essa força determina, com mãos de ferro, o que nos acontece. Também é assim na saúde ou na doença ( parece as cerimônias de casamento). Ele afirmava que o “Isso” procura dentro do próprio organismo as condições necessárias para promover o adoecimento. Se ele não encontra esses recursos internamente, ela vai buscar no exterior, como tem sido feito com o COVID-19.

Parece loucura, não? 

Deixe-me ir um pouco mais adiante e lhe contar uma outra parte que Groddeck dizia. Haveria, segundo seu pensamento, um “Isso” da célula, um “Isso” de cada tecido, um “Isso” de cada órgão, um “Isso” de cada sistema, um “Isso” em cada corpo, um “Isso” familiar, um “Isso” para uma coletividade, um “Isso” para cada parte que nos compõe dentro de uma coletividade. Chegaria haver um “Isso” para a Humanidade

Se um indivíduo necessita adoecer, uma sociedade também precisaria. Aí a COVID -19 se manifesta. Ela é uma doença que nos atinge diretamente em cheio dentro da nossa humanidade. Ela veio para transformar nossos padrões, nossas concepções erráticas de destruição do nosso sistema que acreditamos que tudo é infinito e que nossas ações, em nosso habitat, não terão consequências para nós mesmos.

Temos que temer o COVID-19 ?

A resposta é não. O que devemos temer são as nossas ações sem limites. E isso os dados epidemiológicos demonstraram: A maioria das pessoas ficarão contaminadas, algumas doentes, de forma leve; outras tantas, de forma grave; e outras, morrerão. A nossa indiferença é tanta que estamos somente contabilizando os mortos e não estamos desejando ver como poderemos nos transformar para sair dessa numa  condição melhor.

Groddeck continua tendo razão.

Nenhum comentário até o momento.

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *